Racionalismo Cristão 45ª edição
Racionalismo Cristão 45ª edição Racionalismo Cristão 45ª edição

Racionalismo Cristão 45ª edição

Modelo: Racionalismo Cristão 45ª edição
Disponibilidade: 41

Preço: R$ 18,00

A finalidade deste livro é esclarecer as pessoas, de forma concisa e simples, sobre o significado da vida de um ponto de vista espiritualista, explanando princípios, através dos quais possam elas formar uma concepção coerente do Universo e com ele se identificar na contextura de um processo evolucionário.

Desde tempos remotos, o ser humano se questiona sobre os mistérios da vida: quer saber de onde proveio e qual será o seu futuro; saber o que acontece, se é que acontece alguma coisa, depois da morte do corpo ou qual é a finalidade da vida. São interrogações que têm permanecido ao longo do tempo.

O anseio de compreender o aparentemente obscuro mundo do transcendente levou a humanidade à criação de mitos e fantasias. Um mito é, de certa forma, uma expressão dissimulada, condensada e simbólica de uma verdade mais complexa e ainda parcialmente oculta. No seio dos fenômenos ditos espíritas foram gerados os primeiros mitos, relacionados ao problema da existência. Com base neles se determinava o que deveria ser habitualmente aceito e o que não era permitido admitir acerca do Universo.

Assim foi durante muito tempo, até florescer a ideia de se testar as teorias através do experimento.

O método experimental, base da ciência moderna, contribuiu para derrubar mitos e tabus e criou um fosso entre a ciência e as concepções de natureza espiritual. Na atualidade, entretanto, a própria postura científica começa a despojar de validade essa divisão. Forma-se uma onda de interesse a respeito de métodos considerados não ortodoxos de investigação. É que se constatam similaridades entre a teoria física atual, apoiada no método experimental, e alguns conceitos metafísicos, originados em pesquisas, baseadas em capacidades perceptivas que ultrapassam as possibilidades dos cinco sentidos e de suas extensões instrumentais.

Com a construção de instrumentos cada vez mais precisos e potentes, os pesquisadores passaram a se defrontar, com frequência, principalmente no estudo do microcosmo, com leis e fatos desconcertantes que contribuíram para desmontar a concepção mecanicista do Universo que imperava até pouco tempo.

Hoje, por exemplo, há uma noção científica assente de que, na análise dos fenômenos, o observador é visto como um participante cuja presença influencia o que está sendo observado. O mundo objetivo do tempo e do espaço cedeu terreno às determinações probabilísticas.

É nesse contexto, talvez prenúncio de uma mudança de paradigma na conceituação do método científico, que ressurgem e se renovam, de forma mais nítida, os estudos feitos no campo da espiritualidade. Nesse campo, os resultados escapam aos limites interpostos pela própria ciência. No entanto, não é pelo fato de, na investigação séria de um fenômeno, existirem evidências externas, resistentes ao crivo das experimentações repetidas, que se deve reduzir a importância das evidências internas relativas à essência do espírito como parcela de um todo do qual é inseparável e indistinguível.

A pesquisa no campo extrassensorial lida com o aspecto transcendente da vida. Por isso, e por ser vasta e profunda, apresenta dificuldades relacionadas à construção de uma síntese unificadora. Algumas vezes, seus resultados se perdem em digressões de natureza intelectual e, em muitas outras, se esvaem em considerações místicas e fantasiosas.

Observando essa situação, Luiz de Mattos, humanista e conhecedor profundo da espiritualidade, codificou o Racionalismo Cristão, doutrina esclarecedora, para responder aos questionamentos mais íntimos sobre a existência e oferecer um guia seguro para o transitar provisório do espírito no planeta Terra. Formulou o postulado básico de que o Universo é constituído de Força e Matéria; delineou de maneira clara os princípios que devem reger a vida neste mundo-escola; e estabeleceu, firmado no estudo, estratégias e critérios para um viver consciente, equilibrado e harmônico.

Sem ufanismo e dentro da realidade fenomênica em  que se desdobra o processo evolutivo, o mestre contemplou os aspectos teóricos da espiritualidade, sem se descuidar das implicações decorrentes desse saber, na vida prática.

O Racionalismo Cristão foi codificado por Luiz de Mattos entre

1910, ano de fundação da Doutrina, e 1914, quando publicou a primeira edição do livro então intitulado Espiritismo Racional e Scientifico (christão). No período compreendido entre 1915 e 1926, ano do seu falecimento, foram publicadas mais três edições. A denominação original permaneceu até a décima quarta impressão, em 1940. A partir da décima quinta, em 1942, a obra passou a ter o título atual.

O lançamento da 44ª edição do livro Racionalismo Cristão representa marco significativo no centenário da Doutrina. O conteúdo filosófico é apresentado em quinze capítulos, dispostos num ordenamento que possibilita ao leitor desenvolver uma linha de raciocínio que o leve a conclusões próprias.

Fazer um comentário

Seu nome:


Seu comentário:
Obs: Não há suporte para o uso de tags HTML.

Avaliação:  Ruim             Bom

Digite o código da imagem: